Queda do Whatsapp e a dependência em redes sociais

No dia 04 de outubro, as redes sociais administradas por Mark Zuckerberg sofreram uma queda que durou algumas horas.


Sem whatsapp, Instagram e facebook, muitas pessoas se viram perdidos e sem "nada pra fazer". Mas porque a queda dessas redes sociais afetaram tanto seus usuários?



gif


Será que realmente somos tão dependentes assim desses aplicativos? Será que não temos mais liberdade ou opção de não utilizá-los por algumas horas, sem ter que nos encontrar à beira da insanidade?


Economicamente falando, muitos negócios tem como essas plataformas, seu principal (ou único) canal de vendas.


Então, é completamente normal um empresário ficar estressado ou preocupado com a queda das principais redes sociais, mais o que explica a aflição da outra parte da população?


É simples e complicado ao mesmo tempo.


Vivemos atualmente em uma sociedade dominada pela aparência. Tudo é postado, do café da manhã ao jantar. Da forma em que fazemos a maquiagem, ao horário de exercícios físicos.


Sempre postando mais, com mais filtro com as melhores roupas, uma disputa velada, que, caso não administrada da forma correta, pode causar depressão e ansiedade.

A necessidade extrema de visitar o feed todos os dias torna a pessoa mais ansiosa, com a auto estima baixa e se sentindo menor que os outros. Mas infelizmente muitos de nós nao aceitamos, ou acreditamos que isso possa ser real, mas é.


Eu mesma me sentia assim, cheguei a desativar as redes sociais mais de uma vez, e gostei bastante de como me senti nesse detox.


Percebi mais criatividade, menos ansiedade, melhor relacionamento com as pessoas próximas de mim e mais disposição à tarefas do dia a dia.





Notícias via Whatsapp?!


Sim meus queridos leitores , é fato que uma grande parte da populacao brasileira usa o Whatsapp como via de "circulação de notícias ". Apesar de contraditório, pois como não há forma de fiscalização ou confirmação de veracidade das notícias, se torna muito fácil compartilhar fake news.


Também nota-se uma necessidade muito grande de conversar a todo momento, o que traz à tona uma reflexão:


Será que não temos mais consciência de nós mesmos? Ou será que não conseguimos estar em nossa própria companhia por mais de algumas horas?


Com tanta informação à um clique, esquecemos de quem somos, da nossa personalidade e do que faz a nossa identidade, pois procuramos cada dia mais nos parecer com a blogueira X, ou com o cantor y.


Não é à toa que os casos de jovens que procuram clínicas de estética para fazer procedimentos à fim de ficarem parecidas com filtros ou celebridades tem alimentado de forma assustadora nos últimos anos.


Parece que todo mundo quer ser outra pessoa. Que infelicidade!





As redes sociais são úteis, mas acredito que a dependência delas nos torna frágeis ao mundo que se passa ao nosso redor. Como por exemplo, o caso de uma mulher que passou mal em casa, e simplesmente esqueceu que poderia fazer uma ligação normal, ao invés de tentar (sem sucesso) ligar via Whatsapp.


Parece ridículo né, mas é a realidade. E os algoritmos sabem bem disso. Quanto mais tempo você passa na rede social, mais ele sabe sobre seus padrões e suas preferências, e injeta no seu feed mais informações que te farão ficar mais uma, duas, três horas de olho na tela preta. (Veja black mirror e o dilema das redes na Netflix)


Até situações mais simples como sentar em uma roda de amigos num barzinho se tornou diferente. Se dez pessoas estão na mesa, seis delas estão no celular. Para quem quer socializar é frustrante, e doentio pra quem não consegue se desvincular do telefone por algumas horas para estar entre antes queridos.


Mas calma amigos, não é o fim do mundo. Não estou falando em parar de usar de vez, mas sim em aproveitar a vida. E esse vício pode ser revertido a uma atitude saudável com passos simples.


  1. Faça um detox de pessoas que te deixam pra baixo;

  2. Retire as notificações da maioria das redes sociais;

  3. Baixe aplicativos que controlam o tempo utilizado nas plataformas;

  4. Tenha um hobby que te faça ficar longe das redes por algum tempo.


Com medidas simples como essa, é possível ter mais qualidade de vida, tempo especial com a família e saúde mental.


E no mundo em que vivemos meus amigos, não há nada mais importante que viver bem.


Xoxo, Andréia.