Terrorismo na alimentação

Não pode comer isso, não pode comer aquilo, se quiser alcançar o corpo "bonito" corte todas as guloseimas e carboidratos. Quando ficamos tão aprisionados ao "não".


"Pão?! Nem pensar, vai engordar! Arroz ou qualquer tipo de carboidrato a noite?! não pode comer, engorda!"
"Nada de doces, álcool, frituras, tome 5 litros de água por dia, e não coma nada de artificial. "

É impressionante o quanto algumas pessoas ainda fazem terrorismo com certos tipos de alimentos, e transferem a culpa à eles quando não conseguem atingir seus objetivos em relação ao corpo, mesmo com tanta informação na rede, ainda há muito tabu e fake News.


Não sou nutricionista, mas na minha experiência, cortar totalmente todas as coisas que gosta não é lá uma estratégia muito eficiente na perda de peso, ou ganho de massa.


Veja meu exemplo, eu tenho um fraco por bolo de chocolate, amo mesmo, não recuso de jeito nenhum. Há alguns meses atrás todo café da manhã deveria ter um bolo. Mas percebi que isso não fazia bem para o meu estômago e para a minha saúde, tanto física quanto mental.


Tentei cortar totalmente e consegui ficar uma semana sem comer bolo, mas infelizmente o tiro saiu pela culatra, no final desse tempo, na ansiedade de comer, comprei um pedaço enorme e comi horrores, passei super mal, mas mesmo assim continuava me alimentando mal.


Compulsão alimentar


Já passei por isso várias vezes, falava que não ia mais beber refrigerante, mas na ansiedade de cortar tudo de uma vez, ficava estressada e descontava tudo na comida e tomava quase a garrafa inteira sozinha, tinha sempre que estar bebendo ou mastigando alguma coisa.


Foi difícil reconhecer que se tratava de uma compulsão alimentar, estava triste? comia, estava feliz? comia mais, estava casada, comia novamente. Hoje em dia reconheço que o papel mais importante da comida, é nos manter saciados e nutridos, e não há problema em comer uma "bobeira" que goste, ou de tomar um vinho, o problema é quando isso se torna uma forma de compensar outros problemas.


Dieta X Reeducação alimentar


Meus queridos leitores, não se enganem, para nós que não somos atletas, é bem difícil seguir uma dieta restrita ou algo parecido, a reeducação alimentar é o caminho mais eficiente para uma boa alimentação. No meu caso, só começou a surtir efeito quando entendi que tudo que é feito de maneira inapropriada tende a dar errado.


O que eu fiz?


Ao invés de comer bolo todo dia pela manhã, comecei cortando aos poucos, fui diminuindo como podia. Procurei fazer uma refeição matinal mais reforçada, com proteína e frutas, e, quando ia comer o bolo, meu estômago já estava cheio pois as proteínas tendem a dar mais saciedade.


Com o passar do tempo diminui para 3x na semana, 2x, só aos sábados, e hoje não faz mais diferença se eu comer um bolo de chocolate ou não.


Se eu tiver com vontade, após minhas refeições do dia compro um bolo, e não inteiro como de costume, agora divido metade para hoje, outra para amanhã , ou com alguém.


Fiz a mesma coisa com o refrigerante, sorvete, e doces. Na maioria das vezes a vontade de comer vem por pura ansiedade. E não há problema em comer o que gosta, mas tenha em mente a importância de dar prioridade à alimentação saudável, se você manter a maioria das refeições saudáveis, com comida de verdade, uma refeição com frituras ou doces, não vai fazer diferença na sua alimentação.


Instagram e blogueiras


Sabe aquela foto do insta da famosinha com brócolis, verduras e peixe grelhado? Não precisa disso tudo pra ter um corpo saudável e vamos falar a verdade, nem todo mundo tem condições financeiras de manter café, almoço e jantar de forma "super saudável" todos os dias, lembre-se que nem tudo são flores na vida, e aquelas fotos lindas de comida, pode ter certeza que quem posta, não se alimenta assim todos os dias, você não precisa se sentir menor.


Como diz o Diego do canal Saúde na Rotina "dá pra ser saudável sem comer brócolis"!.


O comer direitinho, também envolve ingerir bobeiras que façam bem para a sua mente, com consciência e cuidando da sua saúde.


Xoxo, Lille.